Estrias

O que são estrias?

Estrias são lesões que surgem  usualmente após um estiramento importante da pele, que sofre uma ruptura das fibras elásticas. Este fato leva a um aspecto atrófico, que pode então assumir aspecto róseo (inicial), esbranquicado, ou violáceo. As áreas que tendem  a ser envolvidas de forma  mais importante são as coxas, abdome, região glútea e seios.

O que as causam?

Uma das causas mais comuns para o surgimento destas lesões é a gravidez, onde a pele do abdome e dos seios muitas vezes sofre um estiramento muito importante. Na fase de crescimento, durante a puberdade, também há uma grande tendência para a formação de estrias.
O efeito sanfona, isto é, a variação muito grande do peso corporal, com ciclos repetidos de emagrecimento e ganho de peso acelerado, também pode causar  estrias. O uso de roupas apertadas, assim como uma hipertrofia muscular rápida(p.ex. pela prática de musculação) também podem causar estrias, sobretudo em indivíduos que possuam tendência a desenvolver esta alteração.

Mais raramente, as estrias ocorrem como uma das manifestações de uma doença chamada Síndrome de Cushing. Esta doença ocorre devido ao excesso de  hormônios corticóides no organismo. O uso de pomadas  e cremes contendo corticóides, principalmente se for realizado em áreas de dobras por um periodo mais longo de tempo, também podem gerar atrofia da pele e estrias.

Como posso prevenir esta condição?

Devemos nos preocupar em manter a pele muito bem hidratada em todas as fases de nossa vida. Porém, durante a gravidez e a fase de crescimento deve haver uma preocupação redobrada com a hidratação da pele. Ao mantermos a pele hidratada esta se torna mais elástica, evitando a ruptura de suas fibras elásticas ao estiramento. Esta hidratação pode ser realizada através do uso regular de um  hidratante após o banho, uso de sabonetes suaves, glicerinados, evitando banhos quentes e prolongados. Caso estas medidas não sejam suficientes, consulte seu dermatologista, que poderá indicar  preparações de maior poder hidratante.
Evitar o uso de roupas apertadas e as variações muito rápidas de peso também podem prevenir o surgimento de  estrias; as pessoas predispostas devem realmente evitar estas situções.

A cor das estrias possui alguma implicação?

As estrias brancas e violáceas são aquelas mais antigas, cuja resposta ao tratamento é um pouco mais lenta e difícil. Já as estrias avermelhadas, usualmente são de início recente, e apresentam uma resposta melhor ao tratamento.

Quais os tratamentos para esta condição?

Há vários tratamentos disponíveis.
O uso diário de acido retinóico é eficaz sobretudo para estrias de início recente. Este tratamento deve ser realizado por um periodo prolongado, com algum resultado  aparente somente após 1 ano.
Os peelings, isto é, exfoliacões, também atuam nas estrias. Pode ser realizado através da aplicação de vários tipos de ácidos diferentes. Também pode ser realizado através da abrasão direta da pele pelo uso de um aparelho, a dermoabrasão. Este tipo de tratamento tem como objetivo estimular a síntese de colágeno, assim como aumentar a espessura da  camada córnea, que é a mais externa da pele.Pode ser realizado conjuntamente com a mesoterapia, apresentando efeito potencializador.
A mesoterapia, método divulgado sobretudo para o tratamento de celulite, é uma opção para o tratamento das estrias. Consiste na injeçao intradérmica de substâncias, como vitamina C, acido glicólico, silício orgânico, ginko-biloba. Estas atuam estimulando o metabolismo, com resultados visíveis, na maior parte dos casos após 3-4 sessões.

O grau de melhora que pode ser obtido ao combinarmos as diversas modalidades de tratamento vai variar com a resposta individual do paciente, e a extensão do problema inicialmente tratado. Muitas vezes pode-se observar-se uma melhora de 60 a 70 por cento nas estrias tratadas por um período mínimo de 6 meses. Estrias menores, e de início recente, podem ter uma resposta mais rápida e mais completa ao tratamento.